sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Falsidade...


Que força é essa que motiva o ser humano a se mascarar para prejudicar, destruir, machucar o outro?
Qual é a grande motivação? Dinheiro... Inveja... Ou prazer, apenas?
A falsidade é... podre, vil, miserável... Digna de desprezo.
Triste saber que virou moda criticar a falsidade, criticar as práticas imorais tais como a mentira e a hipocrisia... Enquanto na verdade elas são novamente mascaradas por trás das críticas.
Falsidade duplicada.
Que vergonha.
Tenho vergonha e nojo.
Não venho aqui pra dizer que sou santa e que nunca menti. Já errei, porque sou humana (cheia de falhas) e ainda estou aprendendo a caminhar sem passar por cima de ninguém. Não há aprendizado sem erros... Mas, só quem já sofreu na pele as consequencias de se relacionar com um ser mentiroso e baixo, sabe o quão abominável é esse comportamento.
Então, meu Deus, perdoe-me se menti e prejudiquei alguém, perdoe-me se até mesmo sem querer, deixei uma imagem errada do meu caráter...
Não foi a minha intenção. Nunca me dei ao trabalho que arquitetar um plano para machucar ninguém.
Por que fazer isso? Por que se prestar a um papel tão vil... Por que tanta raiva? Tanta mentira, tanta falsa amizade? Até mesmo no seio das famílias... Meu Deus, porque está tudo assim? Por que o homem é tão egoísta? Por que o sabor do sucesso é mais doce quando se pisa em alguém? Por que a vingança é tão atraente? Pra onde leva esse sentimento?...
Por esses dias eu só vejo isso.
Por esses dias tenho me decepcionado cada vez mais com muitas pessoas.
Por esses dias andei olhando pro meu próprio comportamento pra ver se eu passo isso adiante.
Eu nunca desejei tanto em meu coração, que Deus explodisse esse mundo, por esses dias.
A falsidade está no ar... ela envenenou o nosso oxigênio.
To sufocando.
SOCORRO.