terça-feira, 21 de agosto de 2012

Palavras ditas..

Estou aprendendo que as palavras ditas com raiva um dia voltam como um tiroteio. Cedo ou tarde. De todos os lados.

"Tenho aparência de anjo, doces lábios e rosto meigo. Mas minhas palavras são duras e meus pensamentos fluem livremente como uma correnteza."

Agora pago o preço. Merecido, eu sei. Cada pedrada que recebo representa uma pedreira que já lancei.

domingo, 19 de agosto de 2012

Amigdalectomia; Cirurgia de retirada das amigdalas (ou tonsilas)

Olá, tudo bom?
Hoje resolvi fazer postar sobre a cirurgia de retirada das amigdalas, que tanta gente precisa fazer, mas tem medo. 
E não é a toa que resolvi escrever sobre isso. Faz 1 mês e 6 dias que passei por essa cirurgia, e, assim como eu fiquei nervosa na fase pré-operatória, creio que muitas pessoas também estão muito ansiosas, receosas do que é essa cirurgia. E especialmente como se desenvolve o pós-operatório!
Vou contar aqui como foi a minha história, sinta-se convidado a contar a sua, se passou por isso!

Desde sempre tive amigdalas enormes. Assim, as dores de garganta, gripes, resfriados e amigdalites eram terrivelmente frequentes. Lembro de quando ia ao otorrino e ele dizia que a melhor saída era a cirurgia. Mas meus pais não queriam me submeter a um procedimento cirúrgico. Fiz um tratamento com remédios que não me lembro o que eram exatamente. Mas foi um tratamento de 3 meses. Um mês tomando todos os dias um comprimido, outro mês sem tomar, e no 3º tomava a ultima cartela.
Esse estranho tratamento melhorou um pouco a minha vida por um tempo. Mas por pouco tempo. Sempre fui uma garota gripada. Sempre com problemas de saúde.
Em 2009 ou 2010, não tenho certeza, comecei a me viciar em Adnax, um descongestionante nasal bem forte. Meu nariz ficou irritadíssimo e ferido. Tive que ir a um otorrino novamente. Ele tratou meu nariz e mandou que eu parasse de usar adnax imediatamente. Passei uma noite sem respirar, mas depois consegui me livrar desse vício maldito rs. Mas o problema eu ainda não conhecia. As sequelas.
Além das amigdalas enormes, por causa do uso contínuo do adnax, houve o que eles chamam de hipertrofia. É quando os cornetos não voltam mais ao seus tamanhos normais, ficando maiores a cada vez que se usa um descongestionante.
Aguentei a barra até o início deste ano, quando realmente ficou insustentável aguentar as gripes que viviam me perseguindo. Era ficar no ar condicionado, era passar um vento frio, qualquer coisinha, era o suficiente para que eu desenvolvesse as amigdalites. E isso acontecia aproximadamente uma vez por mês. Estudar e trabalhar ficou complicado..Entrando e saindo de ambientes com ar condicionado não tinha como!
Decidi tomar coragem e enfrentar a tal cirurgia. 
Cheguei ao consultório da médica convicta de que eu sabia exatamente qual seria a cirurgia, então entrei dizendo "preciso retirar as amigdalas!".
Ao examinar as tais problemáticas, a doutora concordou de imediato com a minha exclamação. Mas também pediu para dar uma olhadela no meu nariz. E tcharã!! Surpresa!
Depois de um exame mais detalhado (uma tomografia de seios da face), recebi a notícia de que além de retirar as benditas amigdalas, deveria retirar mil coisas do nariz. Desvio de septo, carne, pólipo... Enfim, estava tudo uma grande bagunça!
Mas estava determinada a resolver estes problemas e então fui em frente.
Fiz todos os exames e marquei a cirurgia. Seriam dois médicos. Um para as amigdalas e outro para cuidar do nariz. Tudo bem, ok.
O dia da cirurgia foi chegando e senti que comecei a ficar muito ansiosa, muito nervosa, pois morro de medo de cirurgias. Simplesmente prefiro passar sem elas rs.
No tal dia marcado, talvez por causa do nervosismo, amanheci espirrando. Por causa disso preferiram marcar outra data. 
Uma semana depois, lá estava eu novamente para ser operada.
Tive uma crise de desespero no centro cirúrgico, mas todos foram muito atenciosos comigo, logo a médica chegou e me acalmou, e pra ser sincera, não me lembro nem como foi a anestesia!
Só me lembro de ter acordado numa maca, ouvindo as vozes das enfermeiras. Olhei para o lado e vi que tinha outro paciente dopado ao meu lado rsrs Percebi então que ali era o lugar que os pacientes ficavam para acordarem bem da cirurgia, antes de irem para o quarto ficar com a família.
Na mesma hora em que acordei, senti a incrível diferença na respiração. 
A última coisa que me lembro antes de ser anestesiada, era alguém me dizendo que seria bom evitar dar aquela primeira respirada pelo nariz quando acordasse da anestesia. Pois estaria tudo sensível, inchado, talvez congestionado e com maior risco de sangramento.
Mas quem é que lembra disso quando acorda de uma anestesia geral?
Pois eu dei aquela respirada pelo nariz mesmo! E olha... nunca respirei tão bem! Mesmo com tudo inchado eu senti a diferença na mesma hora. 
Nariz... Maravilha!
Garganta.... ehr... com a garganta foi um pouco diferente.
Assim como senti a melhora da respiração imediatamente ao acordar, também senti a região da garganta. DOENDO demais. E uns fios cutucando a parte de trás da minha língua, e meus ouvidos estavam muito doloridos.. meu Deus! Como isso doeu!
Não é pra desanimar ou colocar um medo básico em quem vai passar por isso, mas é melhor saber o que acontece de verdade do que se surpreender depois e não ter nem como se defender!!
Os médicos tem mania de dizer que é uma cirurgia muito simples e que o pós-operatório é fácil, tranquilo. Em crianças, é. Concordo. As crianças se recuperam muito rápido!
Mas eu digo que o tempo dado pelos médicos para um adulto começar a melhorar  (10 dias mais ou menos) não é suficiente nem de longe!
Fui levada para o quarto e depois de algum tempo voltando à consciência completamente, comecei a distinguir certas coisas na minha boca, como os pontos cutucando minha língua, a saliva espessa, a boca toda dolorida.
Não conseguia falar, beber água, nem tomar sorvete. Qualquer movimento da boca causava ânsia de vômito por causa do atrito dos pontos com a língua. Mas tentava toda hora comer um pouco, pois a alimentação é importantíssima nessa fase.
Voltei pra casa no mesmo dia, à noite. E dormi feito um anjo. 
No dia seguinte também não conseguia comer, e tomar os remédios era uma luta. Misturava com o sorvete, mas o cheiro das coisas ficou tão forte, que eu sentia nojo de tudo. Nem o sorvete me descia. Os remédios então? Eca! 
Tomava analgésicos, sprays, antibióticos e até corticóide.
Lá pro 4º dia de operada, eu entendi o significado da dor. A dor era tão forte que nenhum remédio adiantava. Tão forte que meus ouvidos pareciam duas bombas. Era como se tivessem ateado fogo ali. A garganta doía tanto, que eu chorei a noite inteira. Precisei tomar um calmante forte pra tentar dormir.
Quanto a alimentação... Foi bem complicado. Eu não conseguia tomar sorvete, porque eu sentia cheiro de remédio só de olhar pra qualquer sorvete. Sentia uma vontade ENORME de comer alguma coisa sólida. Mas não podia. Também me foi recomendado comer só mingau e sorvete nos primeiros 2 dias. Mas não aguentei e comi um prato de feijão bem temperado! 
Ah... só eu sei o quanto ardeu esse feijão!!!!!!!!!!!!
Em alguns dias eu conseguia comer um pouco de polenta com feijão e abóbora amassada. 
Outros dias nem água descia.
É uma sensação muito estranha. Você perde todo o controle sobre a deglutição. Não sabe direito como mexer a língua, a comida não desce direito, ou desce demais. Tem que tomar cuidado pra não engasgar.
Ah, perdi um pouco a sensibilidade na língua nos 2 primeiros dias, mas voltou ao normal logo.
Do meu nariz saía sangue e placas de sangue. Mas não havia dor alguma. Tudo na mais perfeita paz.
Mas, com toda a sinceridade..
Eu pensei que ia morrer de tanta dor.
Emagreci 4 quilos em uma semana. Comer é doloroso demais!!
O tempo vai passando e quando você pensa que o próximo dia será melhor, piora.
A saliva fica muito grossa, porque quase não dá pra beber água.
E A BOCA?
Fiquei com a boca ferida e inchada. Minha mandíbula estava muito dolorida. Abrir a boca causava dor em tudo. Muita dor. Minha boca ficou inchada, duas ínguas se formaram, devido ao equipamento de manter a boca bem aberta durante a cirurgia, e a dor para abrir a boca, pelo deslocamento da mandíbula. Uma semana foi o tempo que levou para essas feridas sararem (com exceção da dor na mandíbula).
Para a minha alegria (só que não), desenvolvi uma uvulite (inflamação na úvula, aquela "campanhia" que fica pendurada lá na garganta). Foi uma coisa horrorosa, tive que tomar os antibióticos tudo de novo e uma bela de uma injeção no bumbum, fora o fato de ter ganho mais uma dor pra minha coleção. Enfim...
Depois de DUAS semanas, comecei a comer coisas mais sólidas, claro, sempre bebendo algo para ajudar a descer, pois comida seca não desce!
Hoje, depois de 1 mês e 6 dias, como quase normalmente. 
Engordei os meus quilinhos de volta, porque a vontade de comer de tudo é incontrolável depois de tanto tempo comendo papinhas.
O meu problema é que não consigo falar muito bem ainda. Fiquei um pouco fanhosa e tenho um pouco de dificuldade de pronunciar certas sílabas. Dizer "coca-cola" é uma lástima! Palavras com "F" e "S" também saem um pouco estranhas! rs
Estou na esperança de isso ser reversível. Me sinto ridícula falando desse jeito!
Ainda é difícil controlar todos os movimentos da língua e boca para não engasgar com água, por exemplo, ao escovar os dentes. A água simplesmente escorre goela abaixo! Pouco a pouco as coisas vão melhorando. Mas é necessário aprender a comer, a beber, gargarejar... Tudo de novo! 
Ainda hoje não consigo comer coisas secas como bolos e biscoitos. Para isso, preciso sempre "empurrar" a comida com um suco.
A afobação é grande. A mastigação diminui e é preciso se reeducar à mesa. Agora com a passagem liberada + a vontade louca de comer faz com que a má digestão venha à galope!
É tudo uma questão de paciência...
No geral, há uma grande melhora na vida. A respiração é maravilhosa! Não existe mais aquelas amigdalas ocupando aquele espaço na boca! Sem amigdalite, sem rinite, sem nada!
Mas a adaptação é bem complicada. Precisa de muita paciência, mas muita paciência mesmo!
A quem vai fazer essa cirurgia, só digo o seguinte... Coragem! A vida melhora muito! Mas pra isso, o preço é alto, a dor é forte e o desafio é grande!! Não é mole não! Mas vale a pena, apesar de tudo.

Coragem moçada!!!!!


ATUALIZANDO:

http://psjess.blogspot.com.br/2013/09/amigdalectomia-cirurgia-de-retirada-das.html

Quem tiver dúvidas sobre a dicção, fiz um novo post. é só clicar no link acima! Melhoras pessoal!